O que vai ser do conteúdo agora que não há novas produções?

O que vai ser do conteúdo

O que vai ser do conteúdo agora que não há novas produções?

Com boa parte da população em isolamento social há meses, assistir a filmes e séries se tornou uma das únicas opções de entretenimento, além da ida semanal ao mercado, o grande evento da quarentena! 😉

Os serviços de streaming, como Netflix, Amazon Prime, HBO Go, GloboPlay, entre outros, viraram o principal recurso para passar o tempo nesse período – mas até quando?

Não podemos negar que a oferta de conteúdos nessas plataformas é imensa. A Netflix, por exemplo, possui 32.600 horas de conteúdo, ou seja, levaria 4 anos para assistir a tudo o que eles oferecem. Porém, a gente só consome aquilo que nos interessa e, nesse momento de mundo onde as novas produções foram pausadas e não há  nenhum lançamento, até quando o catálogo dos streamings vai satisfazer seus assinantes por completo?

Há alguns caminhos para se pensar do que será do conteúdo nos próximos meses (ou anos), visto que não seremos agraciados com novidades tão cedo.

Uma das possibilidades é uma onda de cancelamento de assinatura em certas plataformas de streaming e a migração para outras. Isso pode acontecer porque, uma vez que os usuários já assistiram a tudo o que lhes interessa em determinada plataforma, e como não haverá nada novo no curto prazo, pode não fazer sentido continuar pagando a assinatura, e querer explorar outras plataformas.

Outro caminho possível é a volta da TV. Muita gente que já não tinha o hábito de assistir televisão, especialmente por consumir conteúdo em streaming, pode voltar a recorrer a esse veículo. E, assim como a TV, outras formas de conteúdo podem alavancar nesse período, como os vídeos no YouTube ou novas redes sociais, como o Tik Tok.

 

O que você imagina que vai acontecer com o consumo de conteúdo no curto, médio e longo prazo? E como sua empresa está se preparando para isso?

 

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.